Dom Frei José Gislon


Dom Frei José Gislon, OFMCap


Nasceu no dia 23 de fevereiro de 1957, no município de Dona Emma, SC. É o terceiro dos nove filhos de Vicente Gislon e Jurema Gislon.

Frequentou o serviço militar, de maio de 1976 a abril de 1977, no quartel da Polícia do Exército de Brasília.

Ingressou no Seminário Santa Maria, dos freis Capuchinhos, em Engenheiro Gutierrez, Irati, PR em 1978, onde cursou o 2º grau e postulantado.

Ingressou no noviciado em 24 de janeiro de 1981, no Convento Na. Sra. das Mercês, e emitiu os primeiros votos no dia 24 de janeiro de 1982.

Frequentou o curso de filosofia em 1982 e 1983, no Instituto de Filosofia dos Freis capuchinhos, em Ponta Grossa-PR. Concluiu a teologia no Instituto Teológico Paulo VI, em Londrina, PR. Emitiu os votos perpétuos em 24 de novembro de 1987, em Ponta Grossa.

Ordenado diácono em 24 de novembro de 1987, em Ponta Grossa. Foi ordenado sacerdote em 28 de maio de 1988, em Uraí, PR.

Fez o Curso de História da Igreja – Mestrado, na Universidade Gregoriana de Roma, de outubro de 1992 a janeiro de 1996.

Atividades exercidas

Diretor do Seminário Na. Sra. Assunção, coordenador da PV regional, Vigário paroquial, Uraí, PR; Guardião, ecônomo e mestre de aspirantes, no Convento Santo Antônio, em Almirante Tamandaré, PR; professor de História da Igreja no Studium Teológico de Curitiba, PR e no CINTEC (Centro Interdiocesano de Teologia de Cascavel, PR); Definidor Provincial, Ecônomo Provincial e local, secretário de economia, administração e serviço fraterno; Guardião e Ecônomo da Fraternidade Na. Sra. das Mercês em Curitiba, PR; Ministro Provincial da Província São Lourenço de Brindes, do Paraná,  Santa Catarina e Paraguai; Definidor Geral da Ordem; como Definidor Geral foi presidente da Comissão Internacional de Solidariedade Econômica da Ordem.

Nomeado Bispo da Diocese de Erexim, RS pelo Santo Padre o Papa Bento XVI, no dia 06 de junho de 2012.

Ordenação Episcopal, dia 03 de agosto de 2012, na igreja Na. Sra. das Mercês em Curitiba, PR.

Início de seu ministério episcopal na Diocese de Erexim, dia 19 de agosto de 2012, na Catedral São José, em Erechim, RS.

O brasão de Dom José

Escudo francês, moderno, retangular oblongo, dividido em três campos. No primeiro campo em azul, aparece a letra “M” (abreviação de Maria) envolta com doze estrelas, douradas. O azul simboliza caridade e justiça e, além disso, a grande devoção à Virgem Maria da Igreja, da Diocese e da Ordem Franciscana, a defensora da Imaculada Conceição. No segundo campo, em área vermelha para indicar a fortaleza e a decisão no agir, aparece o emblema da Ordem Franciscana, com um braço de Cristo e outro de São Francisco de Assis, em forma da cruz de Santo André, tendo as mãos estigmatizadas indicando a Ordem à qual o Bispo pertence. Na base interna, atravessando os dois campos, vê-se um livro aberto, simbolizando a Palavra de Deus e a presença de Cristo através dos tempos nas letras Alfa e Ômega (princípio e fim de tudo). O escudo é encimado por uma cruz episcopal dourada com três pontas sobre um mastro, coberta por um chapéu prelatício, do qual pendem cordões que se unem em três ordens de 1, 2 e 3 flocos, num total de 12 para os bispos, simbolizando os 12 apóstolos. E tudo em cor verde, que indica esperança, fé e amizade. Sob o escudo, uma faixa prateada, na qual aparece, em maiúsculo, o lema episcopal “IN CARITATE AMARE ET DILIGERE” (Amar e servir na caridade), o núcleo fundamental da missão do Bispo.