Papa Francisco e o trabalho infantil: uma chaga que sufoca a esperança

Data:   13-06-2018



Papa Francisco e o trabalho infantil: uma chaga que sufoca a esperança

Celebra-se este 12 de junho o Dia Mundial Contra o Trabalho Infantil. As mensagens do Papa Francisco desde 2013: as crianças “devem poder brincar, estudar, rezar e crescer em suas famílias. Ai de quem as escraviza”. Reiteradas vezes fez votos de que a comunidade internacional debele esta chaga.

O Papa Francisco sempre usou palavras muito duras contra a exploração do trabalho infantil e contra quem torna as crianças escravas. Na audiência geral de 11 de junho de 2014 levantou o braço esquerdo – como numa arbitragem dando cartão vermelho – mostrando a quem joga sujo com os direitos dos mais pequeninos o livreto vermelho da Organização Internacional do Trabalho (OIT), no âmbito do Dia Mundial Contra o Trabalho Infantil, que se celebra em 12 de junho: “Todos juntos contra o trabalho infantil”.

Em aumento, exploração infantil no trabalho doméstico

Um ano antes, em 12 de junho de 2013, sempre na audiência geral, o Santo Padre recordara que “a exploração das crianças no trabalho doméstico”, tema particular daquela edição deste Dia mundial, é “um deplorável fenômeno em constante aumento, especialmente nos países pobres. São milhões de menores, sobretudo meninas, vítimas desta forma escondida de exploração que muitas vezes comporta também abusos, maus-tratos e discriminações. Esta é uma verdadeira escravidão!”

A chaga de quem sufoca o entusiasmo de esperança das crianças

Francisco fizera votos de que a comunidade internacional “pudesse tomar providências ainda mais eficazes para contrastar esta autêntica chaga. Todas as crianças devem poder brincar, estudar, rezar e crescer, em suas famílias, num contexto harmônico, de amor e serenidade. É um direito delas e um dever nosso!”, exortara.

Em seguida, deixando o texto de lado e falando espontaneamente, Francisco acrescentara: “Muitas pessoas, ao invés de fazê-las brincar, as escraviza: essa é uma chaga!” “Uma infância serena permite às crianças olhar com confiança para a vida e o amanhã. Ai de quem sufoca o alegre impulso de esperança das crianças!”

Comunidade internacional proteja todos os menores

Na vigília do Dia Mundial Contra o Trabalho Infantil em 2014, como ressaltado, com o livreto vermelho da Organização Internacional do Trabalho (OIT) em mãos, o Papa Francisco recordou que “dezenas de milhões de crianças são obrigadas a trabalhar em condições degradantes, expostas a formas de escravidão e de exploração, bem como a abusos, maus-tratos e discriminações”.

“Faço votos veementemente de que a comunidade internacional possa estender a proteção social dos menores para debelar esta chaga da exploração das crianças.” E concluiu convidando a rezar para Nossa Senhora, “que teve o Menino Jesus nos braços, por estes meninos e meninas que são exploradas com o trabalho e também com os abusos”.

Brincar e ir à escola são direitos das crianças

Por fim, após a oração mariana do Angelus em 7 de junho de 2015, recordando este Dia celebrado em 12 de junho, o Santo Padre reiterou que “muitas crianças no mundo não têm liberdade para brincar, ir à escola, e acabam sendo exploradas como mão de obra. Auspicio o empenho solícito e constante da comunidade internacional pela promoção do reconhecimento concreto dos direitos da infância”, expressou Francisco na referida ocasião.

Fonte: Vatican News