Notícias da Assembleia da CNBB - 5º dia

Data:   16-04-2018



Notícias da Assembleia da CNBB - 5º dia

Projeto “Cada Comunidade Uma Nova Vocação” é apresentado à 56ª AG da CNBB

Durante terceiro dia da 56ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) foi apresentado ao episcopado de todo o Brasil a ação evangelizadora ‘Cada Comunidade Uma Nova Vocação’. O projeto, iniciado pelas dioceses dos Regionais Sul 2, Sul 3, Sul 4 da CNBB e as dioceses de Osasco (SP), Tefé (AM) e Bafatá no continente africano, tem o intuito de suscitar uma cultura vocacional em toda a Igreja para despertar as mais variadas vocações.

De acordo com o secretário executivo do Regional Sul 2 da CNBB, padre Mário Spaki, uma das grandes propostas desta ação evangelizadora é utilizar todos os meios de comunicação à nossa disposição, em especial as redes sociais, para divulgar vídeos que mostram a beleza do chamado de Deus, testemunhos de quem vive sua vocação com alegria. “Na ação evangelizadora Cada Comunidade Uma Nova Vocação, nós divulgaremos aquilo que é positivo, os fatos bonitos, que são tantos. Queremos que a alegria do Evangelho contagie muitos corações”, disse o padre.

Segundo padre Mário Spaki, outro ponto importante do projeto é o convite à oração por todas as vocações. “Propomos que todos os encontros da Igreja, todas as reuniões de pastorais, movimentos eclesiais, organismos e serviços, grupos de reflexão, assim como todas as celebrações comecem ou terminem com uma dezena do rosário, conscientemente, pelas vocações”. completou.

No estado de Santa Catarina a Ação Evangelizadora teve início dia 2 de fevereiro, festa da Apresentação do Senhor e dia da Vida Consagrada. Já no Paraná, no Rio Grande do Sul e nas demais Dioceses que aderiram à ação evangelizadora, a abertura aconteceu durante a Semana Santa deste ano. Para mais informações sobre a ação evangelizadora Cada Comunidade Uma Nova Vocação, acesse o site vocações.org.

Fonte: CNBB

------------------------------------------------------.

Bispos concluem retiro espiritual em missa celebrada no Santuário Nacional

A celebração da santa missa no fim da manhã deste domingo marcou o fim do retiro espiritual do episcopado brasileiro durante à 56ª Assembleia Geral da CNBB. A missa foi celebrada pelo Cardeal Odilo Pedro Scherer, arcebispo de São Paulo (SP), e teve com intenção principal os bispos que completam nesse ano seus jubileus de ordenação presbiteral ou episcopal.

O retiro que teve início na tarde deste sábado (14/04), foi conduzido por Dom José Luiz Azcona, bispo emérito da Prelazia do Marajó (MA). Para o bispo de Duque de Caxias (RJ), Dom Tarcisio Nascentes dos Santos, os bispos foram brindados pelas excelentes pregações de Dom Azcona “ele ajudou muito a nós bispos a fazermos uma reflexão muito intensa e nos colocarmos sempre na escuta do que o Espírito Santo deseja que realizemos”.

Dom Frei Evaristo Spengler, atual bispo do Marajó, recordou o exemplo do seu predecessor e também falou da importância do retiro “Dom Azcona tem um grande reconhecimento não somente pelos paroquianos, mas de todo o povo que vive nas cidades que compõe a Prelazia do Marajó e até mesmo das cidades vizinhas, como a capital Belém (PA).

Muito reconhecido pelos trabalhos que desenvolveu no enfrentamento ao tráfico humano, nas denúncias aos casos de exploração e abuso sexual, ele tem um grande caráter moral, espiritual e sempre com muita coerência. Por isso a palavra da nossa prelazia é vista com muito respeito e autoridade. E no retiro a nós bispos, Dom Azcona conseguiu passar aquilo que ele é: um homem de Deus, que busca a santidade e quer levar todos a fazerem constantemente um encontro pessoal com Cristo, que leve a uma conversão e a uma transformação e vida”, disse o prelado.

Em sua homilia, durante a missa de encerramento do retiro, Dom Odilo Scherer recordou o exemplo do Papa Francisco no apostolado de Jesus Cristo, “custa-nos acreditar que Ele ressuscitou. Ele está mesmo no meio de nós? Custa-nos acreditar que ele está presente, sobretudo na carne daqueles que mais sofrem, os pobres, como nos vem dizendo insistentemente o Papa Francisco? Jesus compreende a fraqueza dos apóstolos, mas nos oferece o Espírito Santo que nos dará coragem, para que sejamos verdadeiramente aquilo que a Páscoa proclama: vocês são as minhas testemunhas!”

Os bispos retomam os trabalhos da 56ª Assembleia Geral nesta segunda-feira, 15 de abril, com a celebração da santa missa às 07h30 no Santuário Nacional de Aparecida (SP). Você pode acompanhar as celebrações por meio das emissoras de televisão católicas e os meetings points e coletivas de imprensa por meio do portal A12.com

Fonte: CNBB

---------------------------------------------------------------.

5º dia da Assembleia Geral da CNBB: Dom Murilo e a situação no Brasil

O retiro espiritual neste fim de semana foi um momento para a meditação sobre a vida pastoral de cada bispo, assim como, para pedir o auxílio de Deus às dioceses.

Neste final de semana a 56ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que se realiza em Aparecida (SP), e reúne mais de 300 bispos de todo o país, teve uma pausa nos trabalhos. Deste o início da tarde ontem os bispos estiveram em retiro, conduzido pelo bispo emérito de Marajó, Dom José Luís Azcona. O retiro se concluiu com a Santa Missa na Basílica Nacional às 11h30, presidida pelo arcebispo de São Paulo, Cardeal Odilo Pedro Scherer. Milhares de fiéis e romeiros encheram a “Casa da Mãe”.

O momento de espiritualidade dos senhores bispos foi um momento para a meditação sobre a vida pastoral de cada bispo, assim como, para pedir o auxílio de Deus às dioceses. Dom Azcona, pregador oficial partilhou com todo o episcopado sua experiência e história de grande significado para a luta contra o tráfico humano de pessoas e a prostituição infantil, especialmente na Ilha do Marajó, no Pará.

Retiro espiritual

A temática do retiro dos bispos foi a mesma do último documento do Papa Francisco, lançado esta semana, a Exortação Apostólica “Gaudete et Exsultate”, na qual o Pontífice quer “fazer ressoar mais uma vez o chamado à santidade”, indicando “os seus riscos, desafios e oportunidades”.

“Às vezes falamos de Cristo como a nossa paixão, mas muitas vezes ocultamos e deixamos na sombra a sua identidade como crucificado”, disse. A identidade de Cristo, ao qual queremos seguir, afirmou Dom Azcona, é marcada pelas chagas.

Para o bispo emérito de Marajó as raízes da santidade e, portanto, do bispo hoje sempre estão na sua condição primeira de cristão. Ele disse que é necessário chegar à identidade de cristão para ser missionário.

Atualização dos Estatuto Canônico da CNBB

Entretanto o cardeal Raymundo Damasceno Assis, arcebispo emérito de Aparecida (SP), falou na manhã de ontem, sábado (14) aos bispos reunidos em plenário na parte da manhã sobre a atualização dos Estatuto Canônico da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), tema que já apresentará durante a coletiva de imprensa na sexta-feira, dia 13.

Dom Raymundo explicou aos jornalistas que o Estatuto em vigor foi aprovado em 2001 e promulgado no ano seguinte. Em 2015, atendendo ao pedido dos bispos, a presidência da CNBB nomeou uma comissão para a reforma do documento, presidida pelo Cardeal.

“Eu não chamaria de uma reforma, porque ela não é tão profunda, mas uma revisão dos estatutos, procurando adapta-los às novas exigências que se fazem necessárias”, destacou Dom Raymundo.

Fonte: Rádio Vaticano