Wim Wenders: "Papa Francisco é homem de coragem implacável"

Data:   14-03-2018



Wim Wenders: "Papa Francisco é homem de coragem implacável"

O cineasta alemão Wim Wenders, diretor do filme "Papa Francisco. Um homem de palavra”, entrevistado em exclusiva pelo Vatican News no dia do quinto aniversário do Pontificado, quando a obra é apresentada ao mundo.

No dia do quinto aniversário do Pontificado do Papa Francisco, é apresentado em primeira visão o trailer do filme “Papa Francisco. Um homem de palavra”.

O projeto nasceu de uma ideia de Mons. Dario Edoardo Viganò, Prefeito da Secretaria para a Comunicação da Santa Sé, autor de livros e inúmeros artigos sobre a relação entre o cinema e o mundo católico.

O convidado para dirigir a obra é o alemão Wim Wenders, Presidente da Academia de Cinema Europeu e um dos maiores cineastas do nosso tempo.

Surpresa e grande responsabilidade

Entrevistado pelo Vatican News, Wenders confessa que “nem em seus sonhos mais loucos teria esperado realizar um filme com o Papa Francisco” e que desde o momento em que recebeu o convite de ‘Don Dario’ até a obra ser completada, se passaram dois anos em que sentiu “uma grande responsabilidade”.

“Foram 4 sessões de longas entrevistas, meses na sala de edição e filmagens em Assis, cidade natal de São Francisco para realizar uma obra em que o Papa pudesse falar diretamente a cada um, face a face, de suas preocupações: ‘O filme não deveria ser sobre ele, mas com ele’”, revela o cineasta.

“Nas filmagens, fiquei muito impressionado como o Papa Francisco estava aberto a cada pergunta e como foi espontâneo nas respostas".

“ No final das longas sessões de entrevistas, ele cumprimentava todos sem fazer diferença entre o diretor, o eletricista ou o assistente ”

Questionado sobre o que desejaria para Francisco em seu quinto aniversário de Pontificado, a resposta do cineasta alemão foi:

“Já tinha a maior consideração pelo Papa Francisco antes de conhecê-lo, mas encontrá-lo pessoalmente, vê-lo e ouvi-lo todos os dias na sala de edição e ler seus pronunciamentos em todo o mundo para refugiados, encarcerados, políticos, cientistas, crianças, ricos ou pessoas pobres, me fizeram perceber o quanto ele era corajoso, sem medo. E esse seria o meu desejo: que ele nunca perca essa coragem implacável”.

 “Sempre que ele deixava nosso set, a última coisa que dizia era: “Rezem por mim”. Não era apenas a maneira dele de se despedir, ele queria isto. Eu também o ouvi dizer o mesmo em vários discursos. Então, este seria o meu outro desejo: que ele seja recoberto pelas orações de todas as pessoas (incluindo minha pequena equipe de filmagem) para quem ele representa um homem cuja palavra podemos confiar".

“ Isso se tornou tão raro e coisa preciosa hoje: um homem que não está agindo por si mesmo, mas pelo bem comum ”

O cineasta Wim Wenders tem um vínculo com o Brasil: admirador e amigo do fotógrafo mineiro Sebastião Salgado, dirigiu o documentário ‘O Sal da Terra’ com seu filho, Juliano Salgado. O filme foi indicado ao Oscar de melhor documentário na edição do Oscar 2015 e venceu o prêmio francês César na mesma categoria.

Fonte: Rádio Vaticano