A três dias da viagem do Papa, igrejas são atacadas no Chile Igrejas foram depredadas

Data:   13-01-2018



A três dias da viagem do Papa, igrejas são atacadas no Chile 

Igrejas foram depredadas em Santiago; arquidiocese chilena afirma que mensagem de Francisco ao país é de paz

A três dias da chegada do Papa, infelizmente, igrejas de Santiago, capital do Chile, foram atacadas por pessoas contrárias à visita de Francisco. No país de maioria católica, a intolerância não pode se sobrepor ao respeito. Três igrejas foram depredadas e tiveram suas portas e fachadas quebradas por bombas artesanais e panfletos foram distribuídos com ameaças ao Papa.

A arquidiocese de Santiago lamentou os atos de vandalismo e em nota, disse que o Chile precisa de mais diálogo. O texto reafirma ainda a mensagem de Cristo que o Papa vai levar para a nação: “eu lhes dou a minha paz” e lançou um chamado: “Convidamos todos os católicos, crentes de outras religiões, homens e mulheres de boa vontade, a renovar a alegria e participar nas comemorações da próxima semana com o Santo Padre, que traz uma mensagem de fé, esperança e amor para todos”.

A visita de um Pontífice é sempre uma motivação para o respeito e a boa convivência entre todas as pessoas. A mensagem que o Papa traz ao país vem reforçar a fé e também fazê-la chegar aos que não acreditam.

Fonte: Catolicos

---------------------------------------.

Desconhecidos atacam 3 igrejas e se manifestam contra a visita do Papa ao Chile

Poucos dias antes da visita do Papa Francisco ao Chile, três igrejas católicas na capital de Santiago foram atacadas na madrugada do dia 12 de janeiro, enquanto uma quarta igreja está sendo revistada ante ameaça de bomba.

Uma ameaça de bomba no Santuário Cristo Pobre do bairro de Santiago alertou na manhã de hoje a polícia especializada que está revistando o local.

Algumas horas antes, a Paróquia Santa Isabel da Hungria, no bairro da Estação Central, sofreu o primeiro incêndio perpetrado por desconhecidos, que fugiram deixando mensagens contra a visita do Santo Padre ao país.

“Nós nunca nos submeteremos ao domínio que querem exercer sobre nossos corpos, nossas ideias e ações, porque nascemos livres para decidir o caminho que queremos escolher. Contra todo religioso e pregador. Corpos livres, impuros e selvagens. Atacamos com o fogo do combate provocando a explosão da sua moral desagradável”, descreve um texto.

“Papa Francisco, as próximas bombas serão na tua batina”, diz outra mensagem.

Os panfletos também se referiam à problemática mapuche. “Liberdade para todos os presos políticos do mundo, Wallmapu libre, Autonomia e resistência”, expressam.

A comunidade de sacerdotes que vive no local tentou imediatamente apagar o incêndio, o qual atingiu a porta principal e algumas janelas. Os vizinhos também ajudaram.

Além disso, na capela Emmanuel, pertencente à Paróquia dos Santos Apóstolos de Recoleta, algumas pessoas arrancaram a porta e quebraram as janelas com um dispositivo explosivo.

Neste lugar, foram encontradas as mesmas mensagens contra o Papa Francisco e a favor da causa mapuche.

No bairro Peñalolén, a capela Cristo Vencedor, da Paróquia de Jesus Servidor, foi atacada com um extintor e recipientes de plástico, causando danos materiais.

“Foi um ato covarde. Estou chateado, triste, porque é uma comunidade humilde, uma comunidade que se esforça. Pessoas que não são conscientes das consequências dos seus atos”, manifestou o vigário da paróquia, Pe. Marcelo Cabezas.

“Por outro lado, se há atentados, estamos fazendo barulho como católicos”, acrescentou.

Em nenhum dos ataques houve feridos.

Policiais do Chile e a Polícia de Investigações estão nos lugares que foram atacados a fim de compreender se os acontecimentos estão ligados entre si.

O Subsecretário do Interior, Mahmud Aleuy, visitou as igrejas afetadas e anunciou que o governo do Chile apresentará uma queixa contra os responsáveis.

Até agora, a Comissão Nacional Visita Papa Francisco enviou uma mensagem de apoio às comunidades afetadas através do twitter.

“Nosso carinho às três comunidades que foram afetadas durante a madrugada. Condenamos a violência e fazemos um chamado ao respeito e à Paz”, escreveu.

“Nuestro cariño a las tres comunidades que se vieron afectadas durante la madrugada. Condenamos la violencia y hacemos un llamado al respeto y La Paz #FranciscoenChile #MiPazLesDoy”

Nunciatura apostólica no Chile invadida em protestos contra a visita do Papa

 Esta sexta-feira 12 de janeiro, a três dias da chegada do Papa Francisco ao Chile, um grupo de manifestantes ingressou na manhã à Nunciatura Apostólica para protestar pelos gastos destinados à visita do Pontífice, entretanto, logo depois de uma operação policial foram desalojados.

A “Andha Chile (Associação Nacional de Devedores Habitacionais do Chile) começa agenda de luta invadindo a sede papal, a Nunciatura Apostólica. ‘O problema não é a fé, mas os milhões que gastaram'”, escreveu em sua conta do Twitter a líder do agrupamento, Roxana Miranda.

Da mesma maneira, na conta do Twitter do movimento assinalaram que “aqui no Chile há miséria, pedofilia, assassinatos e ninguém faz nada, mas gastam milhões em um personagem religioso”.

Logo depois de um tempo de tensão e resistências, os carabineiros (policiais militares) conseguiram desalojá-los do edifício localizado na comuna Providência.

Este incidente se soma a outros atos violentos, como os ataques a três igrejas católicas em Santiago.

Fonte: ACIDigital